O que é Surdez? Entenda seus aspectos na sociedade

Por | Social Media na Uníntese |


A surdez e seus aspectos na sociedade, envolvem características médicas, sociais e culturais, indo além de somente um diagnóstico que impossibilita a pessoa de ouvir

Vamos explicar esses aspectos da surdez na sociedade.

Se esse assunto é de seu interesse e você deseja conhecer mais a fundo os aspectos da surdez, continue lendo esse texto.

Os aspectos da Surdez na medicina

Os aspectos da Surdez na medicina.
 Ilustração: Pedro Hamdan/

A surdez pode ser definida segundo três aspectos: médico, educacional e cultural.

O que é surdez?

Surdez é o nome dado à impossibilidade ou dificuldade de ouvir, que pode ser categorizada de acordo com o grau da perda auditiva. Por isso, existem algumas diferenças importantes.

Audição normal

Audição normal corresponde à habilidade para detecção de sons até 20 dB N.A (decibéis, nível de audição). Se a pessoa ouvir sons somente acima de 20 decibéis, é porque possui perda auditiva.

A perda auditiva leve diz respeito à incapacidade de ouvir sons suaves e mais fracos (canto dos pássaros, pessoa falando mais baixo, etc), além da dificuldade em entender em ambientes com mais ruídos.

A Surdez moderada

Surdez moderada é quando na audiometria a média de decibéis nas frequências entre 500Hz e 4000Hz está entre 41dB e 60dB, sendo que, a partir de 60dB, já é o início da surdez severa na pessoa.

Surdez severa

É quando a palavra em tom normal não é percebida. É necessário gritar para ter sensação auditiva. Além disso, perturbações na voz e na fonética da palavra acontecem. Também há intensa necessidade de leitura labial, quase que imperceptível, muitas vezes.

Surdez profunda

Nesse caso, não há nenhuma sensação auditiva, ocorrem perturbações na fala, dificuldades intensas na aquisição da linguagem oral, sendo adquirida facilmente a Língua Gestual.

Surdo ≠ Deficiente auditivo

Você sabe a diferença entre surdez e deficiência auditiva?

Você sabe a diferença entre surde e deficiência auditiva.
Instagram: @unintese

É considerada surda toda a pessoa que tem total ausência da audição, com perda total da audição em um ou ambos os ouvidos.

No entanto, a deficiência auditiva equivale à redução na capacidade de ouvir sons em um ou ambos os ouvidos, que pode variar de leve à severa.

Inclusão pela Educação Bilíngue

A Educação Bilíngue para alunos com surdez consiste no aprendizado de duas línguas:

A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e a Língua Portuguesa (modalidades oral e escrita), a princípio, com professores diferentes em momentos distintos, a depender da escolha pedagógica da escola e da família.

Portanto, a Educação Bilíngue beneficia tanto os surdos como deficientes auditivos. Em outras palavras, possibilita que ambos tenham acesso à educação.

A Educação e seus aspectos na Surdez

A Surdez e seus aspectos na sociedade.
Imagem: psicologiaacessivel.net

No sentido educacional, a surdez e seus aspectos na sociedade, se faz necessário, com políticas públicas para a criança surda aprender a se comunicar dentro do seu universo, bem como, praticar a interação social com ouvintes.

Inúmeros avanços no Brasil, surgiram a partir da Lei nº 10.436/2002 que reconhece a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio legal de comunicação e expressão dos surdos, ou seja, como uma língua oficial no país.

Em síntese, essa lei, assegura aos surdos o direito para que em instituições educacionais eles tenham aulas ministradas em Libras, ou pelo menos, se faça presente e ativo um tradutor/intérprete de Libras.

A cultura surda em mapa do Brasil.
A cultura surda é desenvolvida por uma série de aspectos linguísticos, sociais e humanos.

Os aspectos da Surdez na Cultura Surda

A cultura surda existe por causa da surdez e seus aspectos na sociedade. Isso é tão óbvio como 2 + 2 são 4. Mas, essa cultura não se trata somente de uma comunidade de surdos.

Ou seja, ela se chama “cultura surda” por uma série de aspectos linguísticos, sociais e humanos.

Um dos fatores que moldam, primeiramente, a cultura surda é a construção de uma identidade cultural.

Essa identidade cultural faz com que surdos possam estar integrados social e democraticamente à sociedade em geral, sem se distanciar dos seus sentidos próprios.

E você sabe como isso ocorre?

Então, esse diálogo entre surdos e ouvintes só é possibilitado, em sua integralidade, por meio da existência da Língua Brasileira de Sinais. Como resultado, o idioma natural do surdos!

A Libras se encaixa nos aspectos da Surdez na sociedade?

Nos siga em nosso canal do YouTube: Uníntese.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem cerca de 10 milhões de pessoas surdas no país, o equivalente a 5% da população brasileira.

Contudo, é provável que esse número tenha aumentado nos últimos anos, tendo em vista que, o último censo do IBGE é de 2010.

Outro fator que, do mesmo modo, nos leva a compreender que a Língua Brasileira de Sinais foi muito valorizada nos últimos 10 anos, é a forte demanda por profissionais qualificados, bem como, habilitados para o mercado de trabalho da Libras.

Em 2021, por fim, mais uma vitória foi conquistada na Educação. Foi a aprovação da Lei da Educação Bilíngue de Surdos.

Afinal, o texto modifica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) para estabelecer como Educação Bilíngue aquela em que a Língua Brasileira de Sinais (Libras) (L1) é considerada primeira língua, e Português escrito como segunda língua (L2).

Saiba mais sobre a Educação Bilíngue clicando aqui.

Assim, se você deseja ir além da maioria e, sobretudo, se tornar um profissional da Libras, nós podemos te auxiliar nessa caminhada.

Conheça nossos cursos na área da Libras acessando unintese.com.br

Curtiu o conteúdo? Então, deixe seu comentário abaixo para sabermos o que você achou dele. Sua opinião é muito importante para nós!


Deixe seu comentário aqui.